https://www.google.com/maps/d/u/0/viewer?ll=-30.024280463085628%2C-51.232222839236464&z=15&mid=1dQVuDlg5m6VVF7njxHTwVjUXCL8O7mFs
 
Foto performance

P E R S O N A   H A C K E R.

Mentora: Zaika dos Santos (MG)
Multi-artista, pesquisadora e cientista/divulgadora científica do Afrofuturismo. Graduada em Licenciatura em Artes Plásticas na Guignard – Universidade Estado de Minas Gerais. Fundadora das iniciativas científica/educacional Afrofuturismo: Arte e STEM, do coletivo artístico e educacional Saltosoundsystem e da iniciativa de multi-artes Nok é Nagô. Pesquisadora afiliada à ABPN (Associação Brasileira de Pesquisadores Negros), integrante do grupo de pesquisa LabFront (Laboratório de Poéticas Fronteiriças) da Universidade do Estado de Minas Gerais, bolsista de iniciação científica no Instituto Sua Ciência, com sua terceira pesquisa científica sobre Afrofuturismo. Uma das divulgadoras científica/cientista do projeto Mulheres na Ciência – British Council 2018 – WOW – Festival Mulheres do Mundo e Museu do Amanhã, onde desenvolveu a divulgação científica Afrofuturismo no WOW. Cientista filiada ao 500 Women Scientists.

 
 
 
zéfiro (Mahyrah Alves)

zéfiro (Mahyrah Alves)

Pensar no íntimo e nas relações geradas ou interrompidas durante o processo da pandemia foi o ponto de partida para personificar as ideias elaboradas pela mentoria ; Zéfiro percorre uma narrativa histórica dentro da ontologia, para falar de nós como um todo no campo ampliado. Trazendo como persona uma ideia de Entidade/Deus que transformado em máquina e desejo, passa a transitar entre lugares de devoção e/ou necessidade ao longo de parte da história humana.

Voto Impresso (Isabela Vida Moreno)

Voto Impresso (Isabela Vida Moreno)

Passados 25 anos da estreia das urnas eletrônicas nas eleições brasileiras, o uso destas máquinas esteve novamente em pauta. A discussão foi puxada pelo presidente Jair Bolsonaro, que acusa o modelo de não ser confiável e alega que houve fraudes na votação de 2018, a mesma em que ele se elegeu. Neste sentido, trago o voto impresso expresso pelo coro popular mais entoado dos últimos tempos: FORA BOLSONARO!

Ser Cordilheira (Mailza Bernard)

Ser Cordilheira (Mailza Bernard)

Ser cordilheira, agrupar-se em montanha, esconjurar-se em minério, dissolver-se em passado, renascer na transformação da matéria em mistério.

Ukhuntula Paz (Ana Laura Pedraja)

Ukhuntula Paz (Ana Laura Pedraja)

Ukuthula é uma palavra Zulu que significa paz. A obra se centra no conceito de Ubuntu. É um ritual de paz, libertade e identidade, entre guias de luzes e ervas aromaticas reunidas em uma fumaça. No Uruguai ao cabelo crespo se denomina: Mota Gogagahia. Mota é pessoa ficcionada conectada com a resistência de seus ancestrais através de seu cabelo.

Persona Encantada (Rosa Damasceno Paranhos)

Persona Encantada (Rosa Damasceno Paranhos)

O presente trabalho pretende compreender o processo de hibridização de entidades denominadas como “encantadas” na Umbanda. O recorte espacial de tal análise é o norte do Brasil. A presença de entidades consideradas encantadas nestes terreiros de Umbanda parece estar ligada a história da região que foram constituídas por diversos fluxos migratórios de negros e indígenas, grupos advindos de diversos estados desse país continental. No norte e nordeste, a presença dos encantados é marcante.

Àiyé Funa - Bebê Andrógeno (Luiz Gustavo Nostalgia)

Àiyé Funa - Bebê Andrógeno (Luiz Gustavo Nostalgia)

Àiyé é o mundo físico, contraponto do Orun, que é o mundo espiritual. Àiyé é a terra que abriga as diferenças, é onde habitam os corpos encarnados e múltiplos. fFuna - palavra de origem ameroindigena que significa: podre, corrupto, danificado... uma linha preta no corpo que marca o decorrer da vida, a cor vermelha simboliza que ninguém tem raça todo mundo e vermelho igual o sangue.

A bruxa que habita em mim (Nádia Maria Araújo)

A bruxa que habita em mim (Nádia Maria Araújo)

O sistema de acumulação perverso que vivemos precisa de fundamentos ideológicos que justifiquem a miséria e a fome dos povos no Planeta. Então vamos , com o poder da criação artística,resgatando a força da Mulher, em especial da mulher preta, que ao longo da história resiste e faz revolução.

Permanência

Permanência

Gabriele de Novaes

É osso

É osso

Bianca Araújo

Nu.Tabu (Erika Pedraza)

Nu.Tabu (Erika Pedraza)

A performance "Corpo Nu" tem o intuito de desmitificar os tabus que permeiam sob o corpo. Tansitando entre cores e movimentos a liberdade que se tem, de se reinventar e ressignificar o conceito de nudez. Um convite para encararmos o corpo nu como arte e, modo de se expressar e experienciar através das cores, desejos e sensações que partem do íntimo, de dentro para fora,na liberdade de apenas ser, permitir e sentir.

Mandinga n 1 (Bruna Emanuele)

Mandinga n 1 (Bruna Emanuele)

Mandinga n. 1: meu Orí me ensina a encantar semeios enquanto caminho é uma obra que compõe a série de mandingas verbivocovisuais por meio das quais a artista tem investigado práticas de sigilos/segredos/encantamentos em diversos suportes e linguagens, passando pela escrita, leitura performática, fotoperformance, ilustração, arte sonora. Mandingar, assim, emerge como uma forma de reencatar o mundo por meio das imagens.

Igba orí - Cada cabeça uma cabaça (Judson Andrade)

Igba orí - Cada cabeça uma cabaça (Judson Andrade)

Takará é uma persona que sai de mim, eu sou ele e é eu de ontem e de amanhã. Tem os segredos da vida e da morte, assim como uma cabaça. Símbolo presente no candomblé, ela é casa, corpo as vezes cabeça. Cada cabaça, uma cabeça, cada cabeça, um de mim.

Corações-emaranhados (Khettlen Costa)

Corações-emaranhados (Khettlen Costa)

A partir da proposta de dialogar com fotografias realizadas no início de século XX, performo retratos imaginados das minhas ancestrais que viveram nesse período, mas não há fotografias de seus rostos. Trago para as cenas a trepadeira corações-emaranhados que é nativa da África, sua forma rememora minhas raízes étnicas e o afeto que teço junto as imagens. Ficciono por meio dos gestos os encontros com essas mulheres que não pude conhecer.

Destino (Mitti Mendonça)

Destino (Mitti Mendonça)

Este trabalho abraça as vertentes das crenças, o que cura e o que instiga o autoconhecimento. Cantos, pistas e amuletos ancestrais. Tudo aquilo que guia e abre os caminhos. Percorrer as entrelinhas do futuro buscando, constantemente, fôlego para escrever o nosso próprio destino.

Destino e Intuição (Suelen Lima)

Destino e Intuição (Suelen Lima)

No momento em que nos livramos das amarras que nos aprisionam é possível se abrir e se conectar com a verdade de sua existência. Destino e Intuição é a persona que não tem medo do mundo e se guia pelas vontades daquilo que precisa se cumprir em sua jornada. O que precisa ser feito será feito e assim é, assim será.

Humanizar-se

Humanizar-se

Tâmara Batista

Bate-bola, vida-bate (Lucas Soares)

Bate-bola, vida-bate (Lucas Soares)

Bate-bola-vida-bate. Concentro nesta figura, o bate-bola, uma intenção de estar em choque a todo instante. Se um corpo negro nos espaços possui uma potência disruptiva nessa condição de mundo em que nos encontramos, me lembro desse trickster, exusíaco, que condensa a resistência histórica dos ex-escravizados que saiam as ruas para festejar, combatendo a violência com o encantamento. Então bate: Vida-bate. Bate-bola.

A carne mais barata do mercado (Sadine Correia)

A carne mais barata do mercado (Sadine Correia)

Corpos pretos, corpos dilacerados! A carne mais barata do mercado, minha cor, minha pele, obra de arte.

Ficha técnica

Artistas: Ana Laura Pedraja . Bianca Araújo . Bruna Emanuele . Erika Pedraza . Gabriele de Novaes . Isabela Vida Moreno . Judson Andrade . Khettlen Costa . Lucas Soares . Luiz Gustavo Nostalgia . Mahyrah Alves . Mailza Bernard . Mitti Mendonça . Nádia Maria Araújo . Rosa Damasceno Paranhos . Sadine Correia .  Suelen Lima . Tâmara Batista .  

Ano: 2021

55BDB28F-5DAE-400A-A173-24726B443E08__1_-removebg-preview.png