https://www.google.com/maps/d/u/0/viewer?ll=-30.024280463085628%2C-51.232222839236464&z=15&mid=1dQVuDlg5m6VVF7njxHTwVjUXCL8O7mFs
 

DAIA Moura, SP

Vídeo arte, 2021

DIÁSPORA

Diáspora: explicação para o inexplicável processo de sequestro, morte e espoliação. Como se explica para o corpo que tem memória? É no ranger dos tijolos e no estardalhaço dos pedaços que se criam mundos possíveis. Nos nervos-músculos pesados de pensamentos que fazemos dançar a gestação da ideia-vida. Beatriz Nascimento vê o ser negro como um corpo-documento. Quilombo. Um corpo-território, história e devir! Corpo mapa... Ser de metades e de incompletudes, metades na terra, metades que serenam no mar, metades que voam invisíveis, metades que se agitam nas chamas. Em nossos fragmentos moram símbolos e chaves para os portais da criação. O solo estuda dançares que buscam essas chaves.

Sobre a artista

Ficha técnica

Criação, Roteiro e Performance: Daia Moura, Video Projeção: Tiago Roma, Edição: Bruna Machado Trilha: DJ João Porém e Natalie Mess

55BDB28F-5DAE-400A-A173-24726B443E08__1_-removebg-preview.png